Psicologia Analítica

A ANÁLISE DOS SONHOS E SUA IMPORTANTE CONTRIBUIÇÃO NO PROCESSO DE INDIVIDUAÇÃO

Quando estudamos a Psicologia Analítica de Carl Gustav Jung (1875-1961) nos deparamos com uma importante questão:

O que os sonhos podem representar na vida do ser humano como um todo?

Através da observação e da análise dos mais variados sonhos de seus pacientes, Jung nos aponta que os sonhos são parte de uma imensa teia, tecida por inúmeros fatores psicológicos.

Com o desenvolvimento de seus estudos, Carl Gustav Jung (2008), realizou uma importante descoberta de que os sonhos parecem obedecer a uma determinada configuração ou esquema.

Jung denominou este esquema como “O Processo de Individuação”.

Sigmund Freud (1856-1939), o Pai da Psicanálise, foi um grande estudioso na temática da Interpretação e Análise de Sonhos, e principalmente no estudo interpretativo dos seus próprios sonhos.

Para Freud, os sonhos são realizações de desejos. No entanto, ele não se limita apenas a esse conceito e nos dá a seguinte contribuição em sua fenomenal obra “A Interpretação dos Sonhos”:

“Se eu agora afirmar que o sentido de todos os sonhos é a realização de um desejo, isto é, que não pode haver nenhum sonho além de sonhos desejantes, desde já estou certo de que depararei com a mais categórica refutação”.  (FREUD, 1901)

Segundo Carl Gustav Jung (2008), os sonhos são realizações de desejos ocultos e são ferramentas que buscam equilíbrio pela compensação. É o meio de comunicação do Inconsciente com o Consciente.

Para a Psicologia Analítica, os sonhos carregam em si funções fundamentais que nos auxiliam no Processo de Individuação. Os sonhos podem ser: Compensadores, Prospectivos, Orientadores, Pedagógicos e Libertadores.

Uma das funções importantes do sonho é a Compensação, ou seja, o sonho carrega em si uma importância autorreguladora para a psique.

Um sonho pode ser Prospectivo, isto é, ele tem uma característica profética, tendo o poder de nos direcionar e nos influenciar em importantes decisões.

O Sonho também assume a postura de Orientação do Ego, pois ele pode nos remeter a uma importante reflexão existencial.

A atividade onírica possui um caráter Pedagógico, com o intuito de ensinar e transmitir conhecimento.

O Sonho pode possibilitar ao Ego uma ação Libertadora com relação a pensamentos e eventos traumáticos.

Enfim, os Sonhos são ferramentas fundamentais para a Análise e nos auxilia de maneira considerável no autoconhecimento e no Processo de Individuação. 

O Processo de Individuação nos remete a uma configuração de Crescimento Psíquico, que é comparado ao desenvolvimento de uma Árvore (Sementes, Terra, Água, Ar, Raízes, Tronco, Folhas e Frutos).

O Objetivo da Individuação é a Unidade com o ser, a totalidade em sua essência. Este processo se tornará possível na medida em que o ser humano vai se tornando consciente dele.

O Conhecimento Analítico e Interpretativo dos Sonhos se transforma numa das ferramentas essenciais no Processo de Individuação e Crescimento Psíquico.

Por isso, é fundamental, criar o hábito de anotar tudo aquilo que sonhamos inclusive elementos que possam parecer insignificantes ou absurdos, pois para a Psique tudo é uma intensa realidade e isso é fundamental para o conhecimento de si mesmo.

É preciso elaborar uma reflexão sobre si mesmo e o sonho:

O que este sonho representa?

O que ele está querendo me dizer?

Por que determinada pessoa estava nele?

Esse local em que eu me encontrava e esses elementos, que mensagem eles querem me transmitir?

Pare, Observe e Reflita!

 

Evandro Rodrigo Tropéia/Instituto Freedom

CRP: 06/143949

 

Referências Bibliográficas:

             JUNG, C. G. O Homem e Seus Símbolos. Tradução de Maia Lúcia Pinho. Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 2008.

             FREUD, SIGMUND. A Interpretação dos Sonhos / Sigmund Freud; tradução de Walderedo Ismael de Oliveira; Rio de Janeiro: Imago Ed, 2001.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.