Psicologia Analítica

A EVOLUÇÃO DA PSICOLOGIA ANALÍTICA

A Psicologia Analítica Junguiana também pode ser reconhecida como a psicologia complexa ou profunda. Este ramo da ciência que estuda a mente humana foi desenvolvida a partir da tese de doutorado de Carl Gustav Jung (1875-1961).

Nos últimos anos, tem sido notável o crescimento da psicologia analítica no Brasil e no mundo. A cada ano que se passa as pessoas estão se tornando cada vez mais abertas ao conhecimento do mundo externo e tudo o que nele contém. No entanto, o fator que mais tem contribuído para a evolução da psicologia desenvolvida por Jung é a busca constante pelo autoconhecimento que o ser humano tem projetado como uma meta de vida.

É importante refletirmos que a nossa vida tem o caminho que traçamos na busca pelo destino que almejamos. Na realidade, podemos ponderar que o processo psicoterapêutico é comparado a uma viagem. Essa viagem carrega em si uma função fundamental que consiste em nos levar até o conhecimento do mundo mais complexo, porém o mais fascinante que existe: o mundo do conhecimento de Si Mesmo, o tão esperado, encontro com o Self.

Na concepção de Carl Gustav Jung, os caminhos do autoconhecimento se desenvolvem da seguinte maneira:

  • O Indivíduo se liberta de uma condição autista (que consiste em sair da condição da solidão egóica);
  • Passa pelo Humor Boro (uroboro) – Fechado em si mesmo;
  • Entra na dinâmica do Matriarcado;
  • Entra na dinâmica do Patriarcado;
  • Através da Alteridade, o indivíduo chega na Individução.

Conforme os estudos elaborados e propostos por Carl Gustav Jung, a alteridade consiste num movimento evolutivo necessário que faz o indivíduo sair de si mesmo para se olhar com os olhos do outro.

Na concepção de Jung, o verdadeiro desenvolvimento da personalidade acontece em nível inconsciente. Nesta linha de pensamento, podemos dizer que as personalidades e os complexos existentes na parte desconhecida da psique humana conseguem ser personificadas através dos sonhos.

A partir deste contexto, Jung desenvolve uma nova técnica terapêutica denominada “Imaginação Ativa” e o conceito teológico conhecido como “Individuação”, tendo como objetivo principal o desenvolvimento pessoal e a totalidade, ou seja, tornar-se um ser humano completo.

De acordo com Carl Gustav Jung, caminhamos em busca de nós mesmos para atingirmos a nossa individuação. Os pensamentos que nos norteiam nesses caminhos para a felicidade ocorrem através do autoconhecimento.

Diante de todos os aspectos que estudamos e estamos vivenciando através desse artigo, podemos dizer que toda a obra de Jung é um reflexo de sua vida pessoal. Ele se entregou completamente para as suas experiências, esta entrega e vivência deram origem a toda Psicologia Junguiana.

A psicologia analítica é uma das abordagens da “ciência” psicológica mais fortes que detém o poder de nos auxiliar de forma extraordinária em relação ao contexto do conhecimento de Si mesmo, do conhecimento da Persona e principalmente no que diz respeito ao nosso autodomínio perante a nossa sombra.

Portanto, a Psicologia Analítica é uma ciência!

Com o passar dos anos, através de seus estudos e de suas experiências, Carl Gustav Jung observou a relação de Cura com a integridade e Consistência. A pessoa só é curada quando está integra e consistente. Se o indivíduo perdeu sua integridade, ele perdeu a possibilidade da cura.

Cura, eis a palavra mágica! Todas as pessoas querem alcançar a cura!

Para a psicologia analítica, a cura está dentro de cada um.

“Só aquilo que realmente somos, pode nos curar!” (Carl Gustav Jung)

 

A busca pela tão esperada cura é o aspecto fundamental para o crescimento da Psicologia Profunda desenvolvida por Carl Gustav Jung ao longo de seus mais variados e minuciosos estudos.

Este é o seu momento. Retome a sua jornada e conhece-te a ti mesmo.

Faça Terapia Junguiana!

 

Autor: Evandro Rodrigo Tropéia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.