Psicologia Analítica

A PSIQUE E O SER HUMANO COMO UM TODO

A psicologia desenvolvida por Carl Gustav Jung (1975-1961) define o conceito de personalidade como um todo. A Psique é definida como um “todo”.

A personalidade, de acordo com Jung, trata-se de um sistema que vai se diferenciando dentro de si mesmo. O Sistema começa com uma simples estrutura e vai se tornando uma estrutura complexa, assim como uma larva que atravessa um processo extremamente doloroso até se transformar numa bela borboleta.

A palavra “pisque” nos remete originalmente ao conceito de alma e espírito. Nos dias atuais, refletir sobre a psique consiste no processo de reflexão sobre a mente humana.

Segundo Hall e Nordby (1980) a ideia de que o ser humano é uma totalidade é sustentada pelo conceito de psique.

Conforme os estudos elaborados por Jung, a psique carrega em si todos os pensamentos, sentimentos e comportamentos que podem ser conscientes e inconscientes.

Na realidade, a psique pode ser considerada como um guia regulador da humanidade, com a função de adaptar o indivíduo à sociedade.
O trabalho de Carl Gustav Jung com seus pacientes consistia em auxiliar o indivíduo na recuperação da unidade do ser com o mundo e fortalecer a psique com o intuito de fazer com que o paciente consiga resistir aos desmembramentos que poderiam ocorrer no futuro.

A Psicoterapia tem um papel fundamental no contexto do autoconhecimento, fortalecimento e direcionamento do Ego, no sentido de que o analista e o analisando se unem na tarefa do pensar. Podemos afirmar que o processo terapêutico é de fato o processo de individuação.

Jung nos aponta que o Ego de uma pessoa altamente individuada permite que um maior número de elementos psíquicos se torne consciente, gerando assim um equilíbrio fundamental em sua estrutura.

Segundo Jung, a psique é composta por diversos sistemas e níveis que se interagem dentro da totalidade presente no ser humano.

A psique é dividida por três níveis fundamentais:

– A consciência;

– O inconsciente pessoal;

– O inconsciente coletivo.

De acordo com Viviane Thibaudier (2014), o consciente é formado por tudo aquilo que é extraído do inconsciente conforme vai acontecendo o desenvolvimento psíquico do indivíduo. No entanto, é importante ressaltar que a consciência é a parte conhecida da mente humana, que aparece logo cedo na vida da pessoa, até mesmo antes do seu nascimento.
O inconsciente pessoal é o reservatório de todo o material que já foi consciente, mas que foi esquecido ou reprimido. Tudo aquilo que o ego não suporta se transporta para o inconsciente pessoal. Para Thibaudier (2014), trata-se do mundo subjacente do ser humano, desconhecido por ele e que escapa do controle da consciência. Sem que o indivíduo saiba, o inconsciente influencia a sua vida através das emoções, dos comportamentos e das atitudes.

O inconsciente coletivo é o nível mais profundo da psique, onde se encontram as experiências humanas e pré-humanas.

De acordo com os pensamentos de Carl Gustav Jung, o inconsciente coletivo também é considerado como um reservatório de imagens latentes (internas) que em geral são chamadas de primordiais ou seja, que dão origem ao desenvolvimento
primitivo da psique.

 

Texto: Evandro Rodrigo Tropéia para o Instituto Freedom

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

HALL, C.S; Nordby, V.J. Introdução à Psicologia Junguiana. Ed. Cultrix, SP,
1980.

Thibaudier, Viviane. Jung, Médico da Alma / São Paulo, 2014. (Coleção Amor e
Psique.) Ed. Paulus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.