Psicologia Analítica

CONFRONTANDO OS FANTASMAS DA CULPA

Enfrentar a vida sempre exige de cada um de nós um esforço quase que sobrenatural. Uma das coisas que mais nos assombra é o fardo do passado e as incertezas que nos rodeiam em relação ao futuro.

O preço que pagamos por um passado sobrecarregado é a Culpa, enquanto que  o preço que pagamos pela incerteza do futuro é a Ansiedade. O peso da culpa nos torna cada vez mais incapazes diante da vida.

A maioria de nossos comportamentos, consciente e inconsciente, são movidos por culpa, vergonha, ansiedade, medo e outros fantasmas que envolvem nossa alma. O sentimento de culpa se revela em nossas vidas através de três maneiras:

  • Evitação;
  • Supercompensação;
  • Autosabotagem.

A culpa manifestada através da evitação nos leva para longe das condições normais da vida. Neste caso, a culpa nos traz a sensação de indignidade. “Não sou digno de estar neste local!”

A culpa revelada pela supercompensação é aquela que compensamos a nossa culpa através de atitudes compensatórias. Por exemplo: o pai que se sente culpado pela ausência na vida do filho, compensa a sua culpa através da compra de meios materiais.

autosabotagem consiste na autocondenação que o preço da culpa nos traz. Frases do tipo:

– Sou um monstro
– Estou condenado ao inferno!
– Nada pode me salvar!

Este tema tão complexo nos remete ao tão temido reconhecimento de nossa sombra (Aspecto sombrio de nossa personalidade).

Quando reconhecemos e assumimos nossa culpa, podemos encontrar a nossa real libertação. Reconhecer é dar um novo significado, para que assim, possamos não carregar mais o peso de uma determinada culpa.

Reconheça a sua sombra e ela não mais te dominará.

A culpa pode ter o poder de nos destruir, mas quando a reconhecemos e resinificamos a dor que ela nos causa, o sentimento de culpa pode se tornar um importante aliado no processo do despertar de nossa consciência.

A culpa pode se manifestar através das constantes autoacusações, isto é, pela cobrança e pela rigidez com que o sujeito trata a ele mesmo, através de um mascarado  sentimento de inferioridade que na realidade expressa um sentimento de superioridade.

Para a Psicologia profunda de Carl Gustav Jung, o sentimento de culpa é um dos maiores males que atingem  a civilização.

É muito comum utilizar este sentimento, e essa utilização está contida no universo do inconsciente, com o objetivo de tentar controlar uma situação negativa, de repulsa, que está no limiar da assertividade ou não.

Texto escrito por Evandro Rodrigo Tropéia CRP 06/143949, para Instituto Freedom.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.