Psicologia Analítica

JUNG E O LIVRO VERMELHO

 

O Psiquiatra suíço Carl Gustav Jung (1875 – 1961), era considerado inicialmente, por Sigmund Freud (1856 – 1939), o príncipe herdeiro da psicanálise.

Com o passar do tempo, Jung foi se tornando um exímio estudioso dos fenômenos ocultos, manifestando interesse por tudo aquilo que a ciência literalmente deixava de lado. Estes interesses de Jung por tais fenômenos causaram desconfortos na relação com Freud.

Quanto mais se aprofundava em seus estudos, Jung notava falhas no método psicanalítico, por isso ele queria ir mais além.

A relação entre os dois grandes gênios ficava cada vez mais insustentável e após inúmeras discordâncias, houve, enfim, a ruptura.

Com a separação, Jung se deprime. Através desse isolamento, ele entra em um confronto verdadeiro com o seu próprio inconsciente. Este confronto foi a origem de toda a sua maravilhosa teoria: a Psicologia Analítica.

Um dos grandes frutos produzidos através do doloroso e angustiante confronto foi o Liber Novus ou o Livro Vermelho. Todas as vezes em que Carl Gustav Jung se sentia angustiado, pintava, desenhava e esculpia.

O livro começou a ser escrito por volta do ano de 1914. A obra relata as mais profundas experiências vivenciadas por Carl Gustav Jung, onde o autor mergulha em seu próprio inconsciente e assim, entrou em contato com os diversos arquétipos ou seres mitológicos, fato que o levou a viver diversos fenômenos místicos que aproximam a obra de antigos ensinamentos da alquimia e do ocultismo, assim como da contemporânea parapsicologia.

O método da Imaginação Ativa, um dos grandes conceitos da prática da psicoterapia junguiana, é a base da construção de tão grande e valorosa obra.

O Liber Novus elaborado por Carl Gustav Jung (1875-1961) é um documento histórico que nos revela uma realidade objetiva: o Inconsciente. Através da criação desta obra, ele inciou a experiência psicológica de Si Mesmo, fato pelo qual se dedicou durante muitos anos de sua vida pessoal e profissional.

Através do Livro Vermelho, Jung proporcionou a si mesmo as personificações de uma realidade objetiva, isto é, através de seus escritos e suas expressões artísticas registradas na obra, ele pode personificar todas as questões de seu Inconsciente.

A ideia central da obra nos remete ao fato de que o Inconsciente possui personagens que se manifestam independentemente do desejo da Consciência. Estas personificações surgem através dos sonhos, da religiosidade e das expressões artísticas.

O conteúdo do Livro Vermelho de Carl Gustav Jung, assim como as imagens, possui uma riqueza profunda. Podemos encontrar nesta obra toda a teoria da Psicologia Junguiana , tais como a ideia de símbolo, de individuação, de Self .

O Liber Novus ou o Livro Vermelho de Jung, trata-se do registro de todo o confronto de Jung com o inconsciente. Esta obra foi sendo elaborada por longos 16 anos, sendo considerada por muitos como “Matéria Prima para a obra de uma vida inteira”.

O Livro Vermelho foi liberado somente no ano de 2009 com a autorização dos filhos de Jung.

A obra permaneceu desconhecida durante muitos anos, pois Jung não desejava ser reconhecido como artista. Fato este, que de certa forma, se tornou inevitável, afinal de contas, hoje Jung é reconhecido como um grande pensador e excelente artista, sendo inclusive nomeado por muitos como o Artista do Inconsciente.

Texto: Evandro Rodrigo Tropéia, para Instituto Freedom.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.