Psicologia Analítica

O DESEJO E A VIDA NA VISÃO JUNGUIANA

O Livro Vermelho de Carl Gustav Jung (1875-1961) é uma obra literária que nos traz uma considerável riqueza de imagens produzidas pelo próprio autor, mas principalmente, carrega em si uma maravilhosa profundidade reflexiva que nos tocam na alma.

O Liber Novus elaborado por Carl Gustav Jung é um documento histórico que nos revela uma realidade objetiva: o Inconsciente. Através da criação desta obra, ele inciou a experiência psicológica de Si Mesmo, fato pelo qual se dedicou durante muitos anos de sua vida pessoal e profissional.

No presente artigo, quero partilhar com o caro leitor uma profunda reflexão sobre o desejo e a vida na concepção de Jung:

Não é pouca coisa admitir seu desejo. Muitas pessoas precisam para isso de um esforço especial de sua lealdade. Muitos não querem saber onde está seu desejo, pois lhes parecia impossível ou por demais doloroso. E apesar disso, o desejo é o caminho da vida. Se não admites teu desejo, não segues a ti mesmo, mas trilha caminhos estranhos, prescritos por outras pessoas. […] (Jung, O Livro Vermelho, página 168)

Jung (2018), nos aponta que o desejo é a fonte motivadora que nos inspira a trilhar o caminho de nossa vida, a admissão do proprio desejo torna-se o passo fundamental na jornada de nossa individuação. Quando negamos e fugimos de nossos desejos, automaticamente nos tornamos vulneráveis e somos escravizados pelo desejo dos outros.

De acordo com o pensamento proposto por Jung, somos os heróis de nossa própria história e essa afirmação nos remete a uma atitude individual de nossa personalidade perante os acontecimentos que permeiam nossas vidas. Somos responsáveis pelo tom da canção que cantamos em nossa existência.

 

[…] Mas quem deves viver tua vida. Se tu não a vives? Não é apenas imbecilidade trocar sua própria vida por uma estranha, mas também uma brincadeira estúpida, pois nunca consiguirás viver a vida de outra pessoa, pois só podes viver a tua própria vida. (JUNG, O Livro Vermelho, pág. 169)

 

Durante a jornada, encontramos várias pessoas que caminham conosco e nos orientam, nos aconselham e nos apontam a direção. No entanto, a decisão de caminhar, de seguir em frente ou até mesmo de recuar, será sempre sua. Você não pode viver a vida de ninguém, ao passo que, ninguém poderá viver a sua vida por você.

Em muitas ocasiões em nossa vida cotidiana, reprimimos e negamos os nossos reais desejos e enganamo-nos a nós mesmos, deixando a nossa vida de lado para viver a vida do outro.

É preciso olhar para nossa alma, enxergar o nosso eu interior, acolher, ptoteger e vivenciar a totalidade de nossa própria vida, para que assim, possamos ser completos e doar o nosso melhor para o outro e para a sociedade em que vivemos. Assumimos nossas diversas personas no mundo exterior, mas precisamos ter a consciência interior de quem realmente somos.

Portanto, não negues teu desejo! Não negues a ti mesmo! Vive plenamente a tua vida, pois o caminho se faz caminhando.

 

Texto escrito por Evandro Rodrigo Tropéia CRP 06/143949, para Instituto Freedom

 

Referência Bibliográfica:

Jung, C. G. O Livro Vermelho: edição sem ilustrações . 4ª reimpressão. 2018

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.