Logoterapia

O que é Logoterapia?

Logoterapia e Análise Existencial é uma abordagem psicoterapêutica reconhecida internacionalmente e validada por instituições internacionais de renome científico como a American Psychological Association (APA), fundada na década de 30, pelo neuropsiquiatra Viktor Emil Frankl (1905-1997), desenvolveu uma abordagem psicoterapêutica robusta e eficaz, mas cuja fundamentação extrapola o campo clínico, podendo ser utilizada como Logoteoria em diversos campos profissionais, fundamentando e orientando intervenções que centradas na temática do sentido da vida, revelam a profundidade do ser humano e de suas vontades e a complexidade de sua integralidade como um ser bio-psico-espiritual que vivem em sociedade.

A visão de pessoa da Logoterapia e Análise existencial revela-se extraordinariamente diferenciada de outras abordagens, pois considera o ser humano como um ser livre, consciente, responsável e transcendente.

Sobrevivente de quatro campos de concentração nazistas, durante a Segunda Guerra Mundial, Viktor Frankl, já havia desenvolvido a Logoterapia antes de sua prisão, dado desconhecido pelo público leigo nesta abordagem.

Frankl, relata em seu livro “Em busca de Sentido”, best seller mundial, que ali narra sua experiência crucis, onde teve a possibilidade de colocar a prova, em uma situação extremamente crítica, tudo o que já tinha desenvolvido teoricamente e aplicado em mais de 900 casos clínicos catalogados em Viena. Assim, a visão de pessoa iluminada pela Logoterapia, reconhecendo o ser humano como um ser livre, consciente, responsável e transcendente, não foi descrita de forma ingênua, mas sustentada em pressupostos filosóficos consistentes, calçada empiricamente no contexto clínico-científico e comprovada na vivência pessoal de Frankl e de seus companheiros de campo sobre a relação do ser humano com um profundo e incomparável sofrimento. Nos estudos de Logoterapia em todo o mundo é clara a relação entre, desespero, sofrimento, sentido e transcendência, levando a evidência de que “Quem tem um para quê, resiste a qualquer quase qualquer como”.

A Logoterapia é fundamental empiricamente na relação do ser humano com o sentido da vida, trabalhando no processo terapêutico a capacidade do homem de amar, trabalhar e sofrer. Guiado pelo sentido, este caminho psicoterapêutico oportuniza ao ser humano aguçar sua consciência, ampliando sua compreensão antropológica e possibilitando o encontro do sentido do amor, do trabalho e do sofrimento, através da concretização de valores de vivência, criação e atitude.

A abordagem terapêutica em questão também é considerada a Terceira Escola Vienense de Psicoterapia – ao lado da Psicanálise de Freud e da Psicologia Individual de Adler. Viktor Frankl, estudou ambas as teorias, dialogou e publicou escritos científicos em ambos os movimentos, rompendo com eles por questões bem sustentadas em seus escritos, entretanto Frankl mantém sua admiração por estes autores, ressaltando suas contribuições e conservando na Logoterapia a característica de uma teoria aberta ao diálogo com diferentes pontos de vista na ciência que agregam a compreensão da dinâmica humana.

Para a Logoterapia, a necessidade mais profunda do ser humano é a vontade de sentido, não desconsiderando a realidade da vontade de prazer e de poder na vida humana, Frankl organiza sua compreensão antropológica em dimensões que se relacionam intrinsecamente, consolidando uma imagem de homem integral. Entretanto este neuropsiquiatra vienense descreve o ser humano para além de uma dualidade corpo-mente, considerando que além da dimensão biológica e psicológica o ser humano, diferente de outros animais se revela essencialmente noético, ou seja, espiritual, sendo a “vontade de sentido” a força motivadora da humanidade do homem e a responsável pela tensão existencial, revelada na noodinâmica, foco do processo psicoterapêutico na Logoterapia. Quando na Logoterapia se utiliza o termo Espiritual, Nous, este não deve ser compreendido em termos religiosos e sim filosófico. É de fundamental importância que seja esclarecido que a logoterapia não é religiosa, ela é fenomenológica e como busca acolher o ser humano em sua integralidade, acolhe também seu fenômeno religioso, na forma pessoal e única como é vivido em cada pessoa, considerando seus valores dos quais ela é livre e responsável.

No mundo contemporâneo a Logoterapia e Análise Existencial valida a cada nova pesquisa científica na área, em diferentes países e universidades do mundo, ser profunda conhecedora e estar habilitada ao acompanhamento de um fenômeno pulsante e de profundo sofrimento nos dias de hoje o Vazio Existencial. Oriundo de uma frustração da vontade de sentido, realidade humana não considerada patológica por Frankl, o vazio, pode se revelar de diferentes formas gerando e agravando impactos diversos no corpo, na psique e no campo social. Podendo desenvolver padrões neuróticos e levar a quadros patológicos graves, o vazio existencial, necessita ser identificado e bem compreendido na realidade singular, considerando a necessidade de uma terapêutica especializada, que acolha o ser que sofre em sua relação com o mundo e com o valor da vida de forma, única, humana, com o olhar dirigido a aspectos essenciais ao humano, como sua liberdade e responsabilidade, valores e sentido.

Maria Helena Budal – Psicóloga, Logoterapeuta, Mestre de Tecnologia e Interação Humana pela UTFPR, Docente PUC-PR e Coordenadora da Pós-Graduação em Logoterapia e Análise Existencial do Instituto Freedom.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.